Contos eróticos | Viciada em dar o cu | Heterosexuais

Viciada em dar o cu

Logo eu que não era muito adepta de sexo anal, depois que o Edu arrombou meu cu com o pepino ficava excitada só de imaginar uma pica no rabo.Uma sexta feira ele veio cedo na minha casa disse que a mãe dele iria viajar as 15:00h e que ele me ligaria para eu ir para lá. Nisso me entregou um pacote e disse que antes de eu ir para a casa dele era para fazer uma lavagem anal que teríamos surpresas.

Não questionei o pedido e por volta das 14:00h comecei a me preparar, fiz  a lavagem, tomei um banho, coloquei um vestido justo sem calcinha e fiquei esperando ele me ligar. Quando o telefone tocou eu já estava prontinha para sair.

Quando cheguei na casa do Edu, subi direto para o quarto dele e começamos a nos agarrar. Ele perguntou se eu tinha feito o que ele tinha pedido, eu disse que sim. 

Então eu me abaixei e tirei o pau dele para fora do short e comecei a mamar aquela pica gostosa, ele então foi tirando o meu vestido, me jogou na cama e meteu bem gostoso aquela rola na minha buceta que estava toda encharcada de T, não demorou muito e eu gozei. Depois me mandou ficar de 4 e foi enterrando a cabeça do pau no meu rabinho, e mandava eu abrir bem a bunda que ele gostava de sentir quando eu estava bem arrombada e bem fudida. Ele tirava quase que a pica toda e depois tornava a enterrar no meu cuzinho, cada vez que ele fazia isso eu urrava de T. Quando gozei pela segunda vez ele tirou o pau do meu cu e disse que agora ia começar a surpresa. 

Mandou que eu me deitasse de bruços e encheu o meu anelzinho de creme,  primeiro enfiou um dedo no meu cu e perguntou se eu estava gostando, eu disse que sim, nisso ele enfiou o segundo dedo, depois o terceiro e perguntou se eu estava aguentando eu disse que sim. Então ele disse que ia meter o quarto dedo no meu rabo, eu quase fui à loucura de tanto T e rebolava cada vez mais. Nisso ele disse que ia enfiar a mão inteira no meu cu, eu disse que não era possível, que eu não ia aguentar, então ele tirou os dedos e começou a passar um gel, quando eu perguntei o que era ele disse que era um anestésico para não doer. Eu disse que não tinha anestésico que fizesse uma mão inteira entrar no meu cu, ele riu e disse que pelo menos ia tentar.

Então ele meteu o pau no meu cu e disse que logo logo eu ia estar bem arrombada, isso apesar de me assustar me excitou. Então ele tirou o pau e meteu logo 3 dedos no meu cu, eu que estava super excitada comecei a rebolar e pedir mais. Nisso ele meteu o quarto dedo e começou a me chamar de puta arrombada viciada em dar o cu, que ele ia acabar com todas as minhas pregas e que depois eu ia voltar e pedir mais, que depois que eu tinha tomado pepino no cu eu vivia como uma cadela querendo sempre uma rola no cu. 

Então ele pediu para eu segurar a bunda, abrindo bem que ele ia enfiar o dedo que estava faltando, eu tentei abrir ao máximo mas eu tinha a sensação que nem com todo anestésico do mundo ia conseguir entrar. Ele começou a forçar e mandar eu relaxar, disse que estava sentindo meu cuzinho se abrir todo, nisso senti uma dor alucinante e pedi para ele parar, ele disse que eu tinha sentido era a mão dele que tinha entrado no meu rabo, eu implorei para ele tirar, mas ele disse que ia ficar paradinho até meu cu se acostumar. Pensei que ia desmaiar de tanta dor no cu, nisso ele com a outra mão foi enchendo de anestésico em volta do meu anelzinho, dizendo que era para relaxar, que a mão toda já estava dentro e que ele não ia tirar até sentir eu gozando pelo cu.

Tentei fugir, mas de bruços e com a mão dele enterrada no meu cu eu não conseguia muita coisa. Então comecei a tocar uma siririca e nisso começou a ficar bom, ele vendo que eu já não reclamava tanto começou com um movimento bem devagar de vai-e-vem e começou a dizer que eu era a putinha arrombada dele, que depois disso não ia ter pica que me satisfizesse. Ele continuou a fuder meu cu bem devagar e eu comecei a rebolar enquanto tocava a siririca, nessa hora explodi num gozo louco que parecia que o mundo ia acabar naquele instante. Ele esperou que eu relaxasse o corpo e foi tirando bem devagar a mão do meu cu e logo em seguida começou a bombar com o pau no meu cu que de tão arrombado que estava eu quase nem sentia o pau dele. Não demorou muito para ele encher de leite meu cuzinho, quando ele tirou o pau eu senti o cu todo aberto e então ele com um dedo de cada mão foi arreganhando meu cu e dizendo que no dia seguinte a mãe dele ainda não estaria em casa que era para eu voltar que ele queria ver se a putinha dele continuava arrombada. 

Gostou? Vote no Conto:

21/04/2011 | 78587 visitas

 
 
 
safadas ninfetas safadas

Contos de Putaria :: Site proibido a menores. Denuncie pedofilia.